Agência Destinos Dicas Fotos Contato
 
Visto

Passaporte
Documento
Bagagem
Overbooking
Telefonemas
Dinheiro
Sempre Levar
Visto

Países que dispensam visto para turistas brasileiros:
Os 42 países que dispensam visto para o turista brasileiro, mediante acordo de reciprocidade, são:

África do Sul - Alemanha - Andorra - Argentina - Áustria - Bahamas - Barbados - Bélgica - Bolívia - Chile - Colômbia - Costa Rica - Dinamarca - Eslovênia - Equador - Espanha - Filipinas - Finlândia - França - Grécia- Holanda - Irlanda - Islândia - Itália - Liechtenstein - Luxemburgo - Marrocos - Mônaco - Namíbia - Noruega - Paraguai - Peru - Portugal - Reino Unido - San Marino - Suécia - Suíça - Suriname - Trinidad-Tobago - Uruguai - Vaticano - Venezuela

Fonte: Site do Ministério das Relações Exteriores

Em caso de viagem a um desses países é sempre bom consultar seu agente de viagem ou o consulado do destino, pois pode haver mudança quanto à obrigação do visto.

Passaporte
A perda ou extravio de seu passaporte é fato grave e pode trazer aborrecimentos, além da perda de tempo. Previna-se, guardando-o cuidadosamente. Não ande com ele no bolso ou na bolsa (exceto durante os vôos). Antes de iniciar a viagem, tire uma ou duas cópias das páginas 1, 2 e 3 e da página em que consta o visto consular. Deixe seu passaporte original em local seguro no hotel e ande com a cópia. Em caso de extravio, comunique imediatamente as autoridades locais, para que sejam tomadas as devidas providências e comunique imediatamente ao consulado ou embaixada brasileira mais próxima.
Documento

VIAGENS NO BRASIL

O RG (cédula de identidade) é necessário para viagens aéreas em todo o território nacional. Além dele, o Ministério da Aernáutica também aceita outros documentos de identificação oficiais equivalentes.

VIAGENS NO EXTERIOR

Para menores de 12 anos é necessária autorização de ambos os pais. Se o menor viajar em companhia de apenas um dos pais, a autorização do outro é obrigatória. Quando desacompanhado, o menor deverá ser mantido sob a guarda da companhia aérea, tanto em terra quanto a bordo. Maiores de 12 anos e menores de 18 anos devem apresentar autorização judicial para viajar desacompanhados, um documento dispensável quando o passageiro está acompanhado de um dos pais com autorização do outro. As autorizações, obtidas em postos da Vara da Infância, devem ser apresentadas em vias originais e com firma reconhecida em cartório.

Bagagem

BAGAGEM DE MÃO

Em vôos domésticos, é permitido levar bolsa de mão, maleta ou equipamento com peso máximo de 5 kg e com dimensões de até 115 cm.A bagagem deve caber embaixo do assento ou nos compartimentos das poltronas e não pode incomodar os demais passageiros, nem ameaçar a segurança do vôo.Em viagens internacionais, o limite depende de normas específicas fixadas por convênios. A companhia aérea não se responsabiliza por danos em bagagens de mão ou objetos de uso pessoal.Apenas o faz quando ficar provado que foi causado por algum funcionário da empresa. O passageiro também pode levar: manta, guarda-chuva,bengala,alimentação infantil para consumo durante a viagem e uma cesta ou equivalente para transporte de criança de colo.Objetos como jóias, documentos negociáveis, ações, dinheiro, notebook, máquina fotografica, filmadora, telefone celular( sempre desligado) e outros bens de valor só podem ser transportados em bagagens de mão.

EXTRAVIO OU DANO

Em caso de dano ou sinais de violação de bagagem, o passgeiro deve comunicar imediatamente a empresa aérea e preencher o Registro de Irregularidade de Bagagem(RIB). Se houver alguma dúvida ou problema, o viajente pode procurar o Departamento de Aviação Civil ( DAC ), orgão oficial que atende as queixas e reclamações sobre bagagens, por meio das Secões de Aviação Civil(SACs), instalada em cada aeroporto. Antes do embarque, o passageiro tem a opção de declarar os valores atribuídos à sua bagagem.Para isso, é cobrada uma taxa suplementar e a companhia pode pedir uma relação completa dos itens e verificar o conteúdo de mala.Se houver extravio, o viajante receberá o valor declarado e aceito pela empresa.Jóias, pápeis negociáveis e dinheiro não são aceitos na declaração. Quem não fizer declaração de valores tem direito a indenização limitada caso ocorra extravio da bagagem.Em vôos internacionais a companhia paga indenização ao passageiro no valor máximo de US$ 400.Em vôos nacionais, a compensação é feita de acordo com o Código Brasileiro de Aeronáutica.

VOÔS INTERNACIONAIS

A franquia varia de acordo com o país de destino.Para os Estados Unidos e África do Sul é possível levar dois volumes, cada um com dimensões ( soma do comprimento, largura e altura )de até 158 cm e com peso máximo de 32 kg.Estas regras não valem para a bagagem de menores de dois anos, que não tem direito à franquia, nem para o transporte de animais de estimação.

VOÔS NACIONAIS

O passageiro pode levar 20 kg de bagagem na classe ecônomica e 30 Kg na executiva ou primeira classe.Nas linhas regionais, o limite é de 10 kg em aviões com até 20 assentos e de 20 kg em aviões com mais assentos. As taxas para excesso de bagagem geralmnte correspondem a 1% do valor do bilhete não promocional.Em vôos regionais, a taxa para os aviões de pequeno porte é de 2% do valor da tarifa e para aviões maiores , de 1%.

Overbooking
Se você foi preterido em algum vôo, procure o supervisor da companhia aérea responsável e relate o problema. Pela regulamentação vigente, a companhia é obrigada a acomodar-lhe em outro vôo, dentro de um prazo de quatro horas, contadas a partir da hora do vôo do qual você foi preterido.

Caso este prazo não possa ser cumprido, você poderá optar entre viajar em outro vôo da mesma companhia, endossar seu bilhete ou pedir o reembolso da passagem. Optando pelo embarque em outro vôo (após as quatro horas), a companhia, para minimizar seu desconforto, tem ainda que lhe proporcionar todas as facilidades, como refeições, telefonemas, transporte de e para o aeroporto e acomodações, se for o caso.

Além desses procedimentos, regulamentados pela Portaria 676, está valendo desde o dia primeiro de dezembro de 2000 o Termo de Compromisso, firmado por órgãos de defesa do consumidor, empresas aéreas e o DAC.

Portanto, atenção! Se você for um passageiro com bilhete válido, reserva confirmada e comparecer para o check-in no horário e condições regulamentares (no mínimo 30 minutos para os vôos domésticos e 60 minutos para os internacionais), você tem direito a optar pelos benefícios do acordo, tornando-se um passageiro voluntário.

Neste caso, as companhias aéreas oferecerão uma compensação caso você aceite viajar em outro vôo que não o originalmente reservado. Mas, para isto, as companhias terão que especificar as alternativas de vôos para a situação (horários, escalas, conexões etc). Desta forma, você poderá optar por benefícios que vão desde a acomodação em classe superior (upgrade) a um crédito que poderá ser usado no pagamento de excesso de bagagem, compra de outra passagem aérea ou convertido em dinheiro no prazo máximo de 30 dias.

Além disso, você ainda manterá o direito à utilização do seu bilhete original. E as eventuais despesas com alimentação, transporte de e para o aeroporto, hospedagem e telefonemas, decorrentes do overbooking, correrão por conta da empresa aérea. Por isso, fique ligado! Se você for um voluntário e adquirir despesas por conta própria, não poderá pedir ressarcimento.

Importante! Aceitando as compensações, as companhias aéreas exigirão um recibo de quitação (emitido pelas próprias) no qual constará a data, valor e lugar do pagamento, ok?

Mas lembre-se: Tudo isso é opção sua! Você não tem a obrigação de aceitar a proposta de troca de vôo ou o ressarcimento oferecidos pela empresa, podendo exigir seu embarque no vôo original. Neste caso, terão prioridade os menores de 18 anos desacompanhados, gestantes, maiores de 65 anos, portadores de deficiência, membros da mesma família que estiverem juntos, passageiros em trânsito (conexão) e passageiros deportados.

Se você não aceitar as compensações e facilidades oferecidas, ou a companhia não as ofereça, faça uma reclamação oficial ao DAC. Para tanto, basta procurar a Seção de Aviação Civil (SAC), que fica no próprio aeroporto, e preencher o Impresso de Sugestões e Reclamações (ISR). Se preferir, reclame por carta endereçada ao DAC (ASSECOM - Rua Santa Luzia, 651 - Castelo - Rio de Janeiro - RJ - CEP: 20030-040) ou ainda pelo e-mail assecom@dac.gov.br. Será aberto um processo administrativo que poderá resultar em sanção à companhia por infração ao Código Brasileiro de Aeronáutica (CBAer). Você será comunicado sobre o resultado deste processo em sua residência.

LEMBRE-SE Sua reclamação só será válida caso você tenha confirmado a reserva de seu assento e tenha comparecido ao check-in da empresa aérea com pelo menos meia hora de antecedência para vôos nacionais e uma hora para vôos internacionais.
Telefonemas

As ligações telefônicas feitas dos hotéis para o exterior são muito caras. Sugerimos telefonar através das centrais telefônicas, ou a cobrar no Brasil. Isto é muito simples. Proceda da seguinte maneira:

Do seu quarto, peça uma linha externa como se fosse fazer uma chamada local;

Em seguida, disque os números (conforme o país onde você estiver) como segue:

Alemanha - 08000800055
Argentina - 08009995500
Austrália - 1800881550
Áustria - 0800200255
Bélgica - 080010055
Chile - 800800272
Eslováquia - 0800005500
Espanha - 900990055
Estados Unidos- 18008092292
França - 0800990055
Holanda - 08000220655
Israel - 1809494550
Itália - 800172211
Portugal - 800800550
Reino Unido - 08000567442

Logo você será atendido pela telefonista da EMBRATEL;

Solicite-lhe o número da cidade do Brasil e, no mesmo instante, se completará a ligação. Este serviço é muito bom e econômico. Também pode ser feito dos telefones públicos, inserindo moedas ou fichas. As mesmas serão devolvidas após a ligação.

Dinheiro

EURO

Os 11 países que adotaram a nova moeda são os mesmos que aceitaram o passaporte comum do Mercado Comum Europeu. Participam desse bloco Alemanha, França, Itália, Holanda, Bélgica, Áustria, Irlanda, Espanha, Portugal, Finlândia e Luxemburgo.

TRAVEL MONEY - Cheque de viagem eletrônico

Trata-se de uma cartão magnético que o passageiro compra no Brasil, já carregado com a quantidade em dinheiro que pretende levar. Ao receber o cartão magnético carregado, o passageiro passa a ter uma senha, com a qual poderá fazer saques em 92 países. Os saques são feitos nos caixas eletrônicos em moeda local, à taxa de câmbio do dia. Estes cartões proporcionam segurança e evitam o desconforto de estar levando dinheiro em papel moeda.

TRAVEL CHEQUE

Estes cheques de viagem serão trocados pela taxa de câmbio do dia. É importante lembrar que em muitos estabelecimentos do exterior os cheques de viagem somente são aceitos mediante apresentação do passaporte, e com assinatura do cheque à frente do caixa.

CARTÃ DE CRÉDITO INTERNACIONAL

É obrigatório para alugar carro, fazer check in no hotel, liberar o frigobar, desbloquear o telefone do quarto do hotel, a não ser que o viajante esteja disposto a fazer um depósito de garantia para cobrir gastos extras. Além de garantir essas situações, o portador de cartão poderá fazer saques e dinheiro local em caixas eletrônicos.

Sempre Levar

1 - Passaporte (original e cópias);
2 - Passagens;
3 - Travellers cheques, cartões de crédito, dinheiro corrente;
4 - Carteira de motorista;
5 - Identificação de bagagens;
6 - Chaves das malas ou cadeados;
7 - Guias de viagem e dicionários;
8 - Deixar com alguém um telefone de contato em caso de emergência;
9 - Sair de casa com boa margem de tempo para o embarque.

Voltar ao inicio

Fontes: Ministério do Turismo, DAC, Receita Federal, FolhaOnline, ClimaTempo, Embratel.
2006 © Copyright Pallottitour. All rights Reserved. Design André Abidon.